COMO PODERÁ SER O MUNDO PÓS CORONAVIRUS!



ALAN KARDEC PINTO

Engenheiro Mecânico. Especialização em Engenharia de Equipamentos de Petróleo, na Petrobras. Gestão da Manutenção na Suécia. É certificado CAMA – Certified Asset Management Assessor. Foi Gerente Executivo da Petrobras – Refino e Presidente da Petrobras Biocombustível. Foi Presidente da ABRAMAN e do seu Conselho Deliberativo e, atualmente, é membro do seu Conselho de Administração e Coordenador da Gestão de Ativos. Autor e coautor de 11 livros de Gestão Empresarial e da Manutenção destacando-se, “Manutenção – Função Estratégica”, “Gestão de Ativos”, e “Gestão Estratégica e Avaliação Empresarial”. É professor em cursos de MBA da UFRJ, UFF e Fundação Gorceix.


COMO PODERÁ SER O MUNDO PÓS CORONAVÍRUS!


No mundo globalizado, ligado pela rede mundial de computadores, a crise estabelecida pela disseminação de um vírus, levou o ambiente confortável de parte da humanidade a sofrer um forte impacto, levando a todos para uma medida protetiva de isolamento social.


Nestes tempos de quarentena, todos nós estamos recebendo um grande volume de informações, verdadeiras e falsas, que nos fazem refletir sobre como poderá ser o mundo pós Corona vírus.


Embora não saibamos, claramente, em qual estágio está a pandemia, certamente, não haverá retorno à “Velha Normalidade” e teremos, sim, uma “Nova Normalidade”, bem diferente da anterior. Vejamos alguns poucos exemplos:


- O incremento do home office mostrou para as empresas uma significativa redução dos custos operacionais: necessidade de menor espaço físico, redução da manutenção predial, menos estações de trabalho, menor necessidade de transporte para o trabalho, redução do consumo de energia elétrica, de água etc. Em muitos casos houve um aumento da produtividade.


- Parte do pessoal que trabalha, hoje, em home office deverá continuar nesta modalidade. Aqueles que não se adaptarem a esta modalidade, por falta de disciplina, de automotivação, de capacidade de trabalharem com plataformas digitais de gestão etc., poderão perder seus empregos.


- Os treinamentos à distância, inclusive seminários e congressos, com redução de preço e maior presença de público, foram largamente incrementados, trazendo redução, significativa, de custo de logística, de aluguel de Centro de Convenções, altos custos operacionais etc.


- Reinvenção forçada de processos dos negócios pelo uso da transformação digital, permitindo uma melhor performance empresarial.


- Prestadores de serviços como, por exemplo, restaurantes que só atendiam de forma presencial, passaram a atender através de aplicativos e muitos melhoraram a sua performance com otimização de custos. Muitos não deverão voltar a atender totalmente de forma presencial.


- Vários empregos tradicionais deverão ser extintos. As pessoas terão que se adequar a esta “Nova Modalidade Tecnológica” sob pena de ficarem fora do mercado.


- O conceituado jornal Financial Times, apresentou algumas considerações importantes para a pós pandemia, para reflexão:


· Maior presença do Estado como catalizador da recuperação da pandemia;

· Os privilégios dos mais ricos deverão ser questionados, com maior possibilidade de tributação das grandes fortunas;

· A redistribuição das riquezas voltará a ser questionada;

· Maior presença do Estado na economia;

· Busca de soluções para tornar o trabalho menos precário;

· Busca de novas políticas para enfrentar a fragilidade das economias nacionais com milhões de pessoas perdendo seus empregos e os sistemas de saúde pública sucateados.


O grande perigo que a humanidade precisa estar atenta é, como disse o filósofo Bertrand Russel:


“As pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas e as pessoas tolas estão cheias de certezas”.


A “NOVA NORMALIDADE” SERÁ OUTRA!


QUAL?


Vai depender da nossa “Nova Cultura”!

Vai depender de cada um de nós!



Alan Kardec

Consultor Empresarial e de Gestão de Ativos

Membro do Conselho de Administração da ABRAMAN